terça-feira, 31 de março de 2009

Na linha com os tachos

Começou com umas cervejinhas na Portugália, para aproveitar até ao fim aqueles dias que se metem pelas noites dentro. Evoluiu para tintinho-com-tapas, observando o lusco virar fusco, da copa de serviço. Quando demos por ela, já eram lanches ajantarados, leia-se bem “alanchados” e bem ajantarados. Na semana passada, sempre em espiral crescente, houve um engraçadinho que se lembrou de fazer um arroz de lampreia, que nos fez ver o dia mudar de número, no local de trabalho. Como não sou de ficar atrás, amanhã mostro a habilidade com uma cataplana de tamboril. Teme-se o melhor…

Se dúvidas houvesse


Leonard Cohen
Pavilhão Atlântico
30/07/2009 - 21:00 horas
Bilhetes de 30€ a 75€

segunda-feira, 23 de março de 2009

Sean Riley and the Slowriders @ Vila Nova de São Pedro



Finalmente o fim do ciclo “ir a concertos com um mês de antecedência” com os Sean Riley and the Slowriders, em Vila Nova de São Pedro, no sábado passado. Noite fria, a condizer com audiência escassa e pouco ligada. Concerto a começar atrasado, com som longe do ideal e a acabar cedo demais mas, utilizando as sapientes palavras de alguém que prefere ficar no anonimato, já tive pior a pagar. Descontando os pontos negativos, o saldo foi ainda assim positivo. Foi positivo, em primeiro lugar, porque “a mi me gusta la” música dos Sean Riley and the Slowriders, segundo porque os rapazes a transpõem bem para ambientes ao vivo, terceiro porque concertos acompanhados de imperial a 60 cêntimos são meio caminho andado para fazer o menino feliz. Mas atenção! Não se pense que as bojecas foram decisivas nesta opinião. Para a Mrs. Crama, a quem esta dinâmica etílica passa ao lado, a deslocação a Vila Nova de São Pedro, também valeu muito a pena. Voltando à música, pouco há a dizer. Gosto daquele rock que funda raízes nos blues, no gospel e na country, gerando sonoridades que se identificam de imediato com a América profunda. Gosto do conjunto de músicas que deu origem a Farewell, álbum de estreia desta banda originária de Coimbra, que me cativou logo à primeira audição e que foi, para mim, um dos melhores álbuns nacionais de 2007. Destaque ainda para a simpatia dos rapazes e para mais um CD autografado para a colecção. Com novo álbum já gravado e a caminho das bancas fica o veredicto: a repetir brevemente.



PS1 - Já sabem que videos de qualidade não é aqui. É na porta ao lado.

PS2 - Rita: bem hajas pelo mail de aviso.

domingo, 22 de março de 2009

Volver


Realização: Pedro Almodóvar
Elenco: Penélope Cruz, Carmen Maura, Lola Dueñas, Blanca Portillo
Ano: 2006
Título em português: Volver

sexta-feira, 20 de março de 2009

Impressionismo hiper-realista

Pai e filha sobre ponte
(trabalho a quatro mãos)

- Ó pai, eu não tenho franja!!!

quarta-feira, 18 de março de 2009

Este é mesmo em Março

Sean Rilley and the Slowriders
Semana da Juventude de Azambuja
MOJAVI - Associação de Jovens de Vila Nova de S. Pedro
21/03/2009 - 22:00 horas



Mais informação sobre a banda aqui

terça-feira, 17 de março de 2009

Quem sai aos seus...

video

Relatividade


- Filha, olha ali o Beethoven! Chama-o!
- Beethovenzinho! Anda cá pequenino!

segunda-feira, 16 de março de 2009

Outra vez não!!!

JP Simões, Couple Coffee e Sérgio Godinho, no Musicbox, a 16/04/2009.
Repito, 16 de Abril. A-B-R-I-L! Não M-A-R-Ç-O!
Para fixar de uma vez: Março, mês 3; Abril, mês 4.
Eu sei que sou capaz!

PS - E quem comentar este post também não é sexy.

domingo, 15 de março de 2009

quinta-feira, 12 de março de 2009

Os Parricidas, de Luís Novais

Vals Im Bashir


Realização: Ari Folman
Elenco: Ron Ben-Yishai, Ronny Dayag, Ari Folman, Dror Harazi (vozes)
Ano: 2008
Título em português: A Valsa com Bashir

De formação

What did you learn today? (I learned nothin')
What did you do today? (I did nothin')

terça-feira, 10 de março de 2009

segunda-feira, 9 de março de 2009

domingo, 8 de março de 2009

Carregar baterias, eliminar toxinas

A (tentar) não perder, em Abril



Infelizmente, é quase certo que ele não tocará esta, caso contrário o título do post não tinha o "tentar" entre parentesis. Ainda assim, fica como wishlist. Pode ser que o David passe por aqui e atenda o pedido.



David Byrne - Songs of David Byrne and Brian Eno
Coliseu dos Recreios - Lisboa
28/04/2009 - 21:30
Bilhetes: de 20€ a 40€

sexta-feira, 6 de março de 2009

A não perder, em Abril

The Cinematic Orchestra
Aula Magna - Lisboa
02/04/2009 - 22:00
Bilhetes: 25€ (plateia) 30€ (doutorais)



SA: Era esta a música de que te falava, se bem que já a deves conhecer daqui



JP Simões, Couple Coffee e Sérgio Godinho
Musicbox - Lisboa
16/04/2009 - 23:00
Bilhetes: a indicar brevemente



Luanda: Não podes adiantar nada sobre este concerto? Permitir uma espreitadela rápida para lá do pano, para ficarmos com (ainda mais) água na boca?

Quem comentar este post não é sexy

Eu: "Olhe, desculpe. Podia dizer-me onde é que são as festas Ávinho?"
Alguém prestes a divertir-se bastante: "Aqui mesmo, no sítio onde você está."
Eu: "Mas não era para haver um concerto dos Deolinda?"
Alguém a tentar controlar o riso com todas as forças: "É sim, aqui mesmo à frente de onde tem o carro... mas daqui a exactamente um mês!"

The Curious Case of Benjamin Button


Realização: David Fincher
Elenco: Brad Pitt, Cate Blanchett, Taraji P. Henson, Tilda Swinton
Ano: 2008
Título em português: O Curioso Caso de Benjamin Button

quarta-feira, 4 de março de 2009

268

Vai-se por ali abaixo e aquilo parece a lista de notas de um aluno exemplar, ou então, os resultados de uma prova de tiro com arco de um campeão da modalidade. Eritrócitos: na mouche; Hemoglobina: na mouche; Leucócitos: na mouche; Glicemia: na mouche; Tudo na mouche! Até a Gama Glutamiltransferase (o parâmetro fetiche do pessoal que, como eu, gosta de uma boa pinga) está na mouche! Chega o colesterol, esse estafermo, e pumba: 268mg/dl – risco elevado. Filho de uma grande… nota de vinte! É melhor ir ao médico, diz o papelinho. Para quê!? Já sei o que vou ouvir! Que os lanchinhos com os colegas à base de chouriço, paio, morcela, queijo e outros eteceteras são para esquecer, que o meu lema “One icecream a day keeps the doctor away” tem uma pequena imprecisão, que as minhas feijoadas, essas obras primas da poesia gastronómica, me entopem as veias. É claro que eu sei disso, eu tenho net em casa! “Ah e tal... há uns comprimidos que se calhar tens de tomar.” Nem pensar! Mal por mal, começo com a dieta (só a palavra assusta-me). Ó meus deuses, ao que eu cheguei! Bom, mas parece que tem mesmo de ser, tenho de acabar com esse bandido do colesterol, tenho de tratar-lhe da saúde. Seja, os dias dele estão contados.

segunda-feira, 2 de março de 2009

Estes gajos e a mania da publicidade!

A ideia era isto ficar em segredo absoluto, na esperança que a falta de divulgação tivesse como resultado a total ausência de assistência. Depois aparecia eu a convencer a banda que o concerto tinha sido deslocalizado uns quilometrozinhos, para um local que por coincidência era a minha casa. Era uma boa ideia, não era? Acontece que com cartazes na rua e informações no MySpace, a ideia foi “prus béléléu”. Ora como "perdido por cem, perdido por mil", fica a nota de agenda para quem quiser aparecer. Se quiserem, vão comigo que eu vou lá ter.

Deolinda nas festas Ávinho
Aveiras de Cima
4/4/2009 – Quarta-Feira – 22:00 horas

Momento twitter

Levantar-me da cama doeu tanto, mas tanto, que estive para pedir uma epidural.
Agora vou trabalhar mas parto com dor.

B10

- E o que fazes com o biodiesel?
- Bem, faço uma cena muita maluca! Nem tás bem a ver!
- O quê?
- Ponho-o no depósito do carro! E mais! Depois dou à chave, ponho o motor a trabalhar e ando!!!
- Estás a brincar! Ganda maluco!

Pois é! O pópó já anda a B10 (biodiesel a 10%). Se continuar com esta proporção, os 80 litros já produzidos darão para sensivelmente 6 meses e representarão cerca de 1400km percorridos à conta das batatas fritas de um punhado de gente. É uma brincadeira é certo, e algo para além disto é totalmente inviável, mas é engraçado – o estudo do processo, a implementação do processo produtivo e o convívio com os colegas – e sabe bem saber que se dá um destino melhor a um resíduo altamente poluente que, neste caso, iria parar a um qualquer aterro ou, pior ainda, ao esgoto. E o destino que era (e em alguns casos ainda é) habitual para os óleos vegetais usados é realmente algo que não me sai da cabeça, desde que me debrucei nesta coisa do biodiesel. Como foi possível? Anos e anos a poluir o meio ambiente e ao mesmo tempo a desperdiçar um resíduo tão valioso, ou melhor, tão facilmente valorizável? Realmente… Haja petróleo… Felizmente começam a aparecer os oleões e ao nível empresarial a recolha já é legalmente obrigatória. Que estas medidas sejam acompanhados de civismo e bom senso é o que se deseja.
Por aqui, neste momento, preparo-me já para a segunda fase: o que fazer com a glicerina?

Para os cépticos que (ainda) não acreditam…