quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Jó é o meu nome do meio

Numa acção de formação, ouço um alegado entendido discorrer sobre a problemática da aversão à mudança, no seio da empresa. Como se tratasse de um mal geral, uma epidemia que afecta toda a gente. Contraponho. Numa empresa que sofre de orientação estratégica hiperactiva, onde tudo muda porque sim e porque não e em que nada "pára quieto" dois segundos, o problema não está na aversão à mudança mas sim na paciência para a mudança.

1 comentário:

Aristides disse...

Para quê contrapor? Eles, os iluminados, é que sabem. E ai de quem não alinhar no seu afã de mudança! É tudo para triturar, como dizia o outro que é secretário de estado.
Abraço