quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Das eleições nos EUA

A propósito das tão badaladas eleições norte-americanas acho pertinentes umas palavrinhas sobre o Canadá. Exacto, o Canadá, esse paradigma em forma de país. Essa imensidão de território que fica a norte e a este dos Estados Unidos e de que raramente se ouve falar. A primeira coisa que me intriga no Canadá é como é que aqueles gajos, não desenvolvem um programa nuclear para acabar com os Estados Unidos, ou no mínimo, um plano para os invadir. Viver ao lado de uns vizinhos tão barulhentos, incivilizados, broncos e com tanta sede de aparecer deve ser exasperante. É como estar ao pé de um puto reguila e resistir a dar-lhe um calduço. Já a posição do México é muito mais lógica. Não tendo meios para o programa nuclear, invadem os EUA com aquilo que têm – uma horda de desgraçados que nunca mais acaba. Diga-se que o plano, apesar de ser a longo prazo, está a resultar em pleno. O Canadá não, com aquele arcaboiço todo e népia! Não só não se mete com os EUA, como ainda fica ali sossegadinho, não declara guerra a ninguém, não se intromete na vida interna de outros países, só intervém quando a ONU lhe pede, mantém relações com Cuba, gasta biliões no desenvolvimento de vacinas para doenças que afectam as populações de países pobres, tem serviço nacional de saúde digno desse nome, tem preocupações ambientais, enfim… um sensaborão, é o que é. Outra coisa que me intriga no Canadá, é o facto de, não invadindo os EUA, como é que não são invadidos por estes. Mas aqui tem que se dar um pouco de crédito aos canadianos. Cientes do perigo que corriam, criaram uma gigantesca campanha de marketing para convencerem os norte-americanos do sul de que eram algo que os sobrinhos do Sam detestam, que tinham uma espécie de gosma, ou seja, que são enfadonhos até não se aguentar. “Epá, não venham para aqui que isto aqui é só gelo e árvores! Não temos Michael Jacksons, Paris Hiltons, nem Schwarzeneggers, temos uma família real mas deixamos os ingleses tomarem conta dela, o nosso chefe de estado não dá para manter um canal televisivo só de comédia, uma chatice pegada! Vejam lá que em certos sítios ainda falamos francês e tudo!” E os norte-americanos do sul engoliram e nem querem ouvir falar do Canadá - “Deixa os lá estar sossegadinhos antes que nos matem de tédio!” Pois a mim é que os canadianos não enganam e por isso, voltando às eleições nos EUA, a única coisa que desejo é que o próximo presidente norte-americano consiga transformar os EUA, um pouco que seja, num Canadá do Sul. Os media iriam ter muito menos matéria-prima para trabalhar mas a humanidade ficar-lhe-ia eternamente agradecida.

4 comentários:

Kraak disse...

Hahaha, Crama! CURTI IMENSO este teu post! Muito bom MESMO! Apesar de concordar na generalidade com tudo sobre a questão Canadá vs USA, deixa-me que te diga que os canadianos também têm a sua dose de soap opera... mas isto qualquer país o tem. Só em pensar que enquanto se discute em Portugal a questão do novo aeroporto de Lisboa, há dias fiquei a saber que na zona de Montreal existem 2 aeroportos: um, mais antigo, ainda em pleno funcionamento e outro, novinho em folha, inaugurado e tudo, mas que não tem qualquer tipo de exploração. Tudo porque o que foi projectado foi apenas o aeroporto e não os acessos ao aeroporto, LOL.

Haja riqueza!

Hugzz!

Crama disse...

Olá Kraak,
Claro que têm soap opera, só que com a soap opera canadiana pode a gente bem!
Toma lá um bem-hajas e um abraço!

Anónimo disse...

Ámen!
Toma lá um bem-hajas também por nos presenteares com pérolas destas.

Crama disse...

"Muitos obrigadinhos", pela visita e pelas palavras simpáticas.